domingo, 3 de novembro de 2013

O JERIMUM É NOSSO

 
                                                   A arte de Didi Avelino

        A bela capa deste site foi elaborada pelo artista gráfico e cantor Didi Avelino. A inspiração nasceu do formato do nosso jerimum caboclo, aglutinada à forma do estádio Arena das Dunas, nossa mais nova praça de esportes.

        A marca que queremos imprimir ao Jerimum Caboclo é a da diversidade, com sotaque nordestino e primando pelas coisas e causos potiguares. A começar pela ilustração de capa deste site.  

        O jerimum caboclo é típico da mesa potiguar e é reconhecido e consumido em todo nordeste do Brasil. Essa capa, portanto, foi a nossa homenagem a tão representativo elemento cultural de nossa gente.

        Nós do site queremos parabenizar e agradecer ao artista potiguar Didi Avelino pela colaboração dada a esse veículo de comunicação. Contamos sempre com a sua força.

sábado, 2 de novembro de 2013

UMA DANÇA TIPICAMENTE NORDESTINA

Fonte da imagem: Rítimonordestino
 
 
A arte de fazer xaxado
 
            O xaxado é uma dança típica nordestina, ela está diretamente associada ao Cangaço, especificamente, quando se fala de Lampião e seu bando.

            Lampião, nos anos 20, era recruta do bando do senhor Pereira, em Pernambuco, e foi aí que ele aprendeu o melhor da sua arte de cangaceiro.

            O senhor Pereira deixa o cangaço e vai embora para o estado de Goiás. Lampião então forma o seu próprio grupo e passa a ser o comandante do mesmo.

            Nos anos 20, o xaxado foi uma dança difundida pelos cangaceiros do seu bando, como uma dança de guerra e entretenimento.

            Essa dança se tornou popular entre outros bandos de canguaceiros da época. O xaxado servia para que se dançasse um tipo de coreografia chamada "pisada", eram, portanto, duas coisas destintas. O xaxado, a música e a pisada, a dança.

            Com a continuação dos anos as pessoas adaptaram e misturaram as duas coisas. No xaxado só os homens dançavam para comemorar suas vitórias.

            Em fila indiana eles faziam de suas armas as suas damas e seguiam com passos fortes e ritimados. A palava xaxado vem do barulho que as alpargatas faziam quando eram arrastadas no chão de barro batido.

            Hoje as roupas utilizadas no xaxado, pelos grupos folclóricos, são baseadas nas vestimentas dos cangaceiros, com tons de cáqui e marrom. Roupas feitas com tecidos grossos e de couro que os cangaceiros usavam como proteção contra os espinhos da caatinga.
Além disso, também usam chapéus de couro e alpargatas. 

            Portanto, para ser fiel à tradição cultural nordestina, os grupos folclóricos atuais, em suas apresentações, devem utilizar a indumentária original daquela época.






A CAPITAL DO FORRÓ

Fonte da imagem:Portalcalipso
 

A cidade mais desenvolvida do agreste

       A cidade de Caruaru fica no agreste pernambucano, e é a cidade mais populosa dessa região. Devido a sua importância regional, também é conhecida como: "A capital do Forró". Distante do Recife 130 km, essa cidade é muito conhecida nacionalmente pelo seu festejo junino, como: São João, e que dura pelo menos 30 dias e toma todo o mês de junho. Às vezes chegando até o mês de Julho. Sendo assim, é considerado o maior e melhor São João do mundo. 

        Em Caruaru, é montada uma cidade cenográfica no espaço da Estação Ferroviária, e que lembra a origem da antiga Caruaru, que servia como entreposto para todos os viajantes que passavam pelo agreste.

        Existe também réplica, na estação cor, como:

salas de reboco, salão de artes, salão de ceramistas e muito mais.

        A cidade também é muito conhecida pela sua feira, que foi  cantada em versos e trovas, pelo rei do baião, Luiz Gonzaga.

        O Mestre Vitalino, também levou, o nome da cidade pelo Brasil e para fora dele.

        O alto do Moura, conta com atrações regionais como: Bandas de Pífano e trio de forrozeiros pé de serra, que fazem a festa para os nativos e para os turistas.

        Nesse local encontramos uma boa gastronomia tradicional como: galinha à cabidela, carne de bode, buchada, panelada e outras iguarias da culinária nordestina.

         As manifestações culturais do nordeste são  encontradas na cidade de Caruaru, tais como: As quadrilhas juninas, os bacamarteiros, trio de pífano e outras manifestações que fazem parte do folclore nordestino.

         Caruaru tem aproximadamente mais de 290.000 habitantes e é uma da mais próspera cidade do agreste pernambucano.

 















RAPADURA

Fonte da imagem:Mundotri
 

Iguaria nordestina
         
           Essa iguaria chegou ao Brasil na época da colonização, e servia de alimento para os escravos porque possui muitos nutrientes.

          A fabricação da rapadura no nordeste do Brasil era feita de forma artesanal e muito rústica, nos pequenos engenhos e que também eram muito simples, com moendas de madeiras movidas a água ou por cavalos e bois.

          Ela é famosa entre os nordestinos, e para muitos sobremesas preferida depois do almoço. A rapadura surgiu nas ilhas canárias, em um arquipélago espanhol, no século XVI. Depois no século XVll ela foi exportada para as américas.

          Quando ela chegou ao Brasil no ano de 1532 servia de alimento para os escravos. Nessa época ela ainda não era fabricada comercialmente. A cana é moida para extrair o caldo da cana, o líquido é colocado em um tacho, aí é fervido.

          Essa é elevado a temperatura do caldo, as impurezas sobem, e são retiradas com peneiras O caldo é fervido mais uma vez, então se torna melado.

          O melado é colocado em canoas, e batido para que fique grosso,  se tornando assim  rapadura depois de ser retirado das canoas ele são colocados nos estandarte para ganhar formas de tijolos.

          Essa iguaria no nordeste, é conhecida como um alimento típico do nordestino, que tem muitos nutrientes e que é por ele bem apreciado.

         Hoje essa marca genuinamente brasileira é patentiada indevidamente por aí a fora, resta as autoridades brasileiras recorrer alguma corte internacional dessas que tem por aí para poder anular esse registro, que por direito é brasileiro.

         Não é a primeira vez que isso acontece, e não vai ser a última. O mundo está cheio de oportunistas por aí afora.